sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Sentimento Fatal - Janethe Fontes

Boa tarde!!!

Hoje trago uma resenha para o blog muito importante. Digo importante porque é um livro que nos traz uma mensagem muito importante, uma mensagem de força, de garra, de valorização.
A autora Janethe Fontes escreve seus livros com esses temas um pouco mais fortes e reais.  Já resenhei Vítimas do Silêncio quem quiser só conferir aqui. Acredito que seja de muita ajuda. Estupro, violência doméstica contra a mulher são cenas já comuns na sociedade do mundo. E levar esse tema através da literatura, expondo dados e fatos, e uma personagem forte, apesar de todo o sofrimento, é uma maneira muito válida, muito especial de alertar muitas mulheres que sofrem desse mal e que se escondem atrás de seus medos. 

Título: Sentimento Fatal

Autor: Janethe Fontes
Gênero: Romance/ Literatura Nacional
Páginas: 350
Editora: Dracaena
Sinopse: Por amor se mata? O amor destrói? E o ciúme, pode ou não ser controlado? Sentimento Fatal levará você a pensar nessas questões e rever seus conceitos... todos os seus conceitos em relação ao amor. "Dividida entre a paixão avassaladora do marido Roberto, que tem um ciúme doentio, e o grande amor de infância de Daniel, que ela torna a encontrar dez anos depois, Adriana Diniz Martinez terá de vencer o medo e reencontrar a si mesma... Lutar pela própria integridade e também pela filha Letícia, pela qual é capaz de tudo, sobretudo suportar a violência do marido, sobretudo suportar a própria infelicidade."


O livro narra a história de Adriana, uma mulher bonita, mãe de Letícia, uma garotinha doce e mulher do Beto, que a ama obsessivamente. 

Adriana, não suporta mais viver com medo e ser alvo de um ciúmes doentio de seu marido. Ela decide estudar e levar uma vida melhor, pois ela não é mulher de ficar em casa, gosta de ser independente e quer crescer na vida.

Na faculdade ela se surpreende ao ver que um de seus professores será seu primo, Daniel, uma antiga paixão de infância. E acaba despertando novamente essa paixão, porém Adriana é uma mulher íntegra apesar de sofrer o que sofre nunca deixa de fazer o que é correto, não traindo seu marido, não caindo em contradição ao que mais ela quer. Ser livre e ser feliz.

A história se desenrola envolta da vida de Adriana, dos seus sofrimentos e do quanto ela quer se libertar do seu marido violento. A autora descreve as cenas comuns da vida de Adriana, como sua filha se sente, os pensamentos de seu marido.

A violência contra a mulher é um assunto tão batido, tão antigo, que até deixamos de pensar o quanto é frequente ainda na vida de muitas mulheres que não conseguem largar seus agressores por muitos motivos e nenhum deles, pensamos que pode justificar a situação atual de cada individuo, porém só vivendo o inferno para saber o que pode ou não ser feito em cada momento.

Nessa história da Janethe, a Adriana precisou ficar seriamente machucada para tomar uma atitude e sair da vida que levava, e não achei um ponto negativo, porque ás vezes em nossa vida, precisamos realmente levar uma pancada para acordarmos e nos mexermos e não comento só de violência, falo de um modo geral.

O que mais gostei no livro, foi a personagem se mostrar sempre pronta a ajudar seu agressor, nunca querendo o abandonar de vez, então ela primeiro foi organizar sua vida para depois mostrar a realidade para ele, que ela não o queria mais e que ele teria que seguir o seu caminho.

O envolvimento dela com Daniel, foi muito bonito também, porém o personagem se mostrou muito inseguro, sendo impertinente algumas vezes, por ele querer ajudar a Adriana ele deveria ser mais forte e mais seguro, mais centrado nas idéias e ajudá-la da melhor forma possível.

Mesmo com a ajuda de seus familiares, de seu amor e de amigos, a Adriana consegue mesmo tirar esse medo quando ela decide se ajudar e entende que seu ex marido não é mais forte do que ela poderia ser, deixando de ser dominada até mesmo psicologicamente.

Esse livro me encantou da primeira a última página. Diferente de Vítimas do Silêncio que também foi uma ótima experiência para mim, ele é escrito de uma forma mais madura até, com todo o respeito a autora, porque o primeiro foi escrito de forma doce e maleável, e esse segundo mostra uma garra maior da personagem principal em querer mudar o seu destino. E me encantou também, porque mostra que a personagem luta por si mesma, nesse caso ela é agredida, mas uma pessoa ás vezes entra em estado de inércia deixando a sua vida passar. Nos mostra como é bom sempre seguirmos em frente.

Um dos livros que sempre recomendarei! 

2 comentários:

  1. Irinia se desejar pode usar,sinta-se à vontade. Volte sempre, Bjinhos

    ResponderExcluir
  2. Oi Irinia, li a pouco tempo e mais uma vez fiquei encantada com a autora. Este é um problema que infelizmente acontece a todo tempo. Espero que muitas mulheres se inspirem um pouco Adriana, e tomem coragem para mudarem suas vidas.
    é difícil, eu sei, mas extremamente necessário.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir

Gostou do post?
Curta , comente e compartilhe!
Deixe seu link e eu retribuo!

Beijos e até a próxima!

Irinia Zachello