sábado, 9 de março de 2013

A Jornada - A história de quatro irmãs e uma viagem inacreditável - Erin E. Moulton

Bom dia!


Hoje trouxe para vocês uma resenha de um livro com uma história muito especial. Eu confesso que esperava mais do livro. As emoções estão concentradas nos primeiros capítulos e nos últimos, sendo que o meio é a jornada vivida pelas irmãs. De qualquer forma a aventura vivida nas montanhas não deixaram a desejar a emoção que eu procurava no livro. 


Título: A Jornada - A história de quatro irmãs e uma viagem inacreditável
Autor: Erin E. Moulton
Páginas: 200
Gênero: Ficção - Romance
Editora: Novo conceito
Sinopse: “A história começa lá em casa. Na montanha. Cinco quilômetros morro acima em uma rua poeirenta e esburacada, passando pelo pomar de Mr. Benny, logo depois da banca de legumes da Nanny Ann. Estamos no outono, minha estação favorita. E em poucos dias será meu feriado favorito: Halloween. É isso aí, aqui em Canton Creek Turnpike, é tempo de pegar doces e esculpir abóboras.” Quando as crianças ouvem histórias sobre lendas, mistérios e milagres, só podemos imaginar – de longe – o que estes contos podem significar em suas mentes. A história de A jornada surge assim: de uma senhora misteriosa, que vive entre as águas da floresta e é capaz de realizar milagres, a uma linda e comovente narrativa sobre o amor entre irmãs. Ao nascer fraquinha, com a vida em risco, Lilly desperta em suas irmãs uma necessidade heróica de providências. Tocadas pela tristeza que abate a família, elas se arriscam em uma jornada cheia de aventuras e situações muito incomuns. Entre florestas, quedas de água, pântanos, barulhos assustadores e caçadores nada agradáveis, as meninas lutam pela própria vida enquanto buscam a água milagrosa que deverá salvar sua irmãzinha. Um conto de fadas contemporâneo, escrito de forma sensível, que envolve o leitor nas maluquices das garotas e que é capaz de encantar e enternecer.


A jornada é um livro que nos faz pensar em nosso amor fraternal, em cuidar de nossas família acima de tudo, porém uma força a mais para o fraterno, aquele companheirismo entre irmãos. 

Maple e Dawn são as irmãs mais velha do quarteto. Dawn a primogênita  já acha que é crescida o suficiente para entrar na brincadeira de uivar com a família e Maple uma menina sonhadora que acredita veemente na história da Mulher sábia da montanha, que chora lágrimas de alegria que tem o poder da cura, e quem bebe dessa água é curado do mal que aflige. Dia a Lenda: "A Mulher Sábia da Montanha era um espírito de luz com grande poder de cura, e ela não gostava de morar no céu e via o sofrimento dos humanos e decidiu que chegara a hora de descer na terra para ajudá-los. Mas sua queda foi tão forte que ela se fundiu com a Terra e surgiu como uma fonte de pedra. E sentiu que era essa sua verdadeira essência e verteu lágrimas de alegria."

"Descendo do céu em um halo,
Sobre amontanha eu vejo.
Vem mais perto que eu te falo
Da Senhora dos Desejos

A Senhora dos Desejos
Sabe bem como ajudar.
No meio da tempestade
Recolha a água da fonte,
                      Água pura lá do monte." - Página 15

Ao descobrir que sua irmã mais nova a Lyli Anne, que nasceu antes da hora, e tem poucas chances de sobreviver ela se prepara no silêncio da madrugada para começar a jornada atrás da Mulher Sábia da Montanha. Porém sua irmã a interrompe e descobre o que deseja fazer. Muito reticente diz quye não a deixará ir. Depois concorda em ir apenas para não deixar Maple sozinha. Porém ela acaba entendendo que esse é o certo a fazer para salvar a criança.

Durante a Jornada elas passam por diversas situações que as fazem proteger uma a outra, e entender a capacidade que elas tem de decidir o que é certo porque é certo e não porque quer arrumar briga co a outra, a jornada fazem elas se amarem.

A cada momento de dificuldade a Maple via sempre uma borboleta da espécie Monarca, uma borboleta que não vive só e ela achava estranho isso acontecer, ela estar ali. A Beetle, para não deixar de comentar, quase não aparece na história, é a terceira irmã. É uma bebê também, que tem por adoração as irmãs mais velhas.

E uma curiosidade é que durante a aventura para se distraírem do cansaço elas brincam de adivinhar nomes de origem de cada espécie. Muito interessante.

O que mais eu gostei no livro, é o  amor que desperta de verdade uma na outra, ás vezes as pessoas como irmãs não são amigos de verdade. E nessa jornada elas aprendem muito uma sobre a outra, sobre o amor fraternal, como já comentei, sobre a esperança de salvar a irmãzinha no hospital, sobre acreditar que há uma chance de sobreviver. E em todo momento, depois de se machucarem, de se perderem ou de depararem com os animais da mata, elas nunca deixam abandonam a possibilidade de ajudar a Lily Anne, a nova irmã Rittle. 

Uma leitura suave, cheia de aventuras e amor pela vida.

2 comentários:

  1. Oie :)

    Nossa , fazia tempo que eu não lia uma crítica positiva desse livro , agora que você falou bem dele acho que vou arriscar comprar kkkkk , beijos :D

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/ ( comenta lá :D )

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha é eu gostei, teve gente que nao gostou mesmo nao... Beijos

      Excluir

Gostou do post?
Curta , comente e compartilhe!
Deixe seu link e eu retribuo!

Beijos e até a próxima!

Irinia Zachello