domingo, 9 de dezembro de 2012

Os Seios de Pandora - Sonia Coutinho

Bom dia!!!

Ontem terminei de ler Os Seios de Pandora Uma aventura de Dora Diamante - Sonia Coutinho , esse livro eu comprei no metrô em uma máquina de livros na Estação Luz. Comprei por pura vontade e curiosidade de saber como a máquina funcionava. Vi o título achei diferente, melhor entre todos que estavam lá e por ser da Editora Rocco eu dei um voto de confiança a mais. Na Loja Americanas está R$17,90 e eu paguei R$ 2,00,  valeu muito a pena! 

Geralmente essa máquinas vendem alguns títulos esquisitos, mas ás vezes uns achados muito construtivos. Para quem mora em São Paulo e está entendiado na correira do metrô, Pague o quanto Acha que Vale e leia muito! 





 Sinopse: Os seios de Pandora narra crime e violência com um enfoque raro porque intimista. Para fazer uma reportagem especial sobre o caso, Dora vai fundo, sem reservas, na vida de uma mulher com problemas de família, tida como amante de milionários e mendigos na juventude, assassinada quando ia tentar receber a herança deixada pelo pai, um fazendeiro rico. Dora, acostumada à rotina de jornalista, morando num quarto-e-sala alugado nos fundos de um prédio em Copacabana, volta a Solinas e acaba confirmando o violento universo nordestino. Percebe como Tessa foi discriminada quando moça, ao engravidar sem revelar quem era o pai da criança, e a reação violenta de sua mãe. Entre vários acusados do crime, até a mãe de Tessa é suspeita do assassinato da filha nesse policial psicológico, marcado por reviravoltas, que alterna fatos e emoções na dose exata.

Tessa Laureano, uma mulher sofrida e com sede de amor de sua filha e mãe, não entende, ás vezes, o que a faz ser tão odiada por sua mãe Lenira. Sua filha Zelda foi comprada desde criança pelo "amor" de sua avó e  pelo seu dinheiro, já que Tessa depois da morte de seu pai foi totalmente excluída da família tendo que viver de sua arte, um tanto quanto não aceita, passando por dificuldades com sua filha de 06 anos na época, Zelda percebendo a diferença de ambientes sem dó nem piedade decidiu morar com sua avó, em todo o conforto e riqueza que a mesma usufruía  Dinheiro esse que por direito deveria ser de Tessa, como parte da herança depois da morte de seu pai, porém sua mãe tentava convencer ela a ceder para sua filha. Considerada uma desvirtuada, por engravidar de uma homem a quem escondeu à identidade, somente a mãe sabia, e por não casar e ir morar no Rio de Janeiro, sendo taxada de amante de vários homens de alta sociedade á mendigos. Em sua dor, na busca do amor de sua filha, que declarava ódio descaradamente a Tessa, ela vive anos em um desespero, uma quase loucura, afastando-se de seus amigos, ficando apenas com íntimos que sempre ouviam a mesma história, ela mesma achava que iria ficar louca. Mas sua dor era muito forte para guardar dentro de si, deixando ela muitas vezes estagnada em seu apartamento.

Até o momento em que recebe um telefonema de um homem ameaçando-a, para não ir a Solinas, sua cidade natal, senão morreria. Mas ela não tinha escolha, seus quadros não vendiam mais e seu dinheiro mal dava para dois meses. Foi para solinas, sua sentença de morte. 

Dora Diamante, uma repórter que se identifica com Tessa por altos e baixos de sua vida. Teve um pouco de convívio com a mesma e não acredita que ela morreu. Viaja até solinas na esperança de solucionar o assassinato da pintora. Porém, ela mesma quase acaba sendo assassinada, conversando com seu editor que a manda de volta para o Rio imediatamente. Causa impacto na família "tradicional" em Solinas e faz com que  chame a atenção para si, quando decide ir visitar a mãe da Tessa. Nem nem Zelda, nem Lenira sente a morte. Dora também é descriminada por sua família, por ser independente e ter se divorciado de Márcio. então ela sabe o que Tessa sente. Decidindo escrever a matéria no jornal expondo um outro ponto de vista da Tessa, sem ser uma pintora ou uma figura lustre, mas sim uma mulher que sofreu muito e foi descriminada por puro preconceito referente a alta sociedade de Solinas.

O livro tem dois ambientes, o de Dora e o de Tessa, podemos ver o que as duas pensam,. Não tem datas específicas e isso me confundiu um pouco no começo de cada capítulo, achando que era hoje mas era o passado (por exemplo), porém nas páginas seguintes já conseguia me situar em que ambiente estava. Tessa escrevia cartas, Dora expunha seus pensamentos.

O título Os Seios de Pandora creio eu, vem porque Dora acha que Tessa abriu a Caixa de Pandora de sua vida, e no meio do livro ela conta em suas cartas o quanto sua mãe forçava a amamentação, deixando a mesma com os seios doloridos e machucados, sangrando de tanto que dava de mamar e não conseguia cuidar. Mas acho que dignifica um pouco mais.

Enfim, me senti confusa no começo, porém consegui entender todo o contexto do livro, o final um pouco previsível  porém justo. Acho que deu para dar uma descontraída legal! Para um livro que  não esperava nada, me desculpe!!!, me surpreendeu. Meus dias no Metrô foram mais leves.

Espero que tenham gostado! Bom domingo!!!

6 comentários:

  1. Ahh queria uma maquina dessas aqui na minha cidade :/

    Eu gosto da historia de pandora, achei legal o titulo ter algo a ver ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É menina, fiquei pensando no título, ainda bem que explicaram em certo momento do livro.

      É uma campanha de incentivo à leitura no metrô. hehe

      Beijos

      Excluir
  2. Amei essa máquina Irinia. Amo livros que a gente não espera nada e de repente surpreende.

    Um xero, Ana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah eu tb, mesmo sendo sem querer. E tão fininho... Valeu a pena! Beijos

      Excluir
  3. Oi flor, o Book Tour está rolando sim, eu é que devo ter apagado a foto sem querer rsrs Me desculpe a demora mas é que uma das participantes teve um imprevisto e está demorando um pouco pra terminar a leitura ^^

    ResponderExcluir

Gostou do post?
Curta , comente e compartilhe!
Deixe seu link e eu retribuo!

Beijos e até a próxima!

Irinia Zachello